Serra das Confusões


Moradores locais dizem que a origem do nome “Serra das Confusões” está no fato das rochas mudarem de cor durante o dia, causando confusão na visão

Para celebrar os presentes que a natureza deu ao Piauí, destacamos dois destinos não tão conhecidos e que devem figurar nas programações das suas próximas viagens pelo Brasil.

Parque Nacional da Serra das Confusões

Criado em 1998, abriga uma enorme área de Caatinga e é um dos maiores territórios de preservação do estado do Piauí, e de todo nordeste. A região desta unidade ainda encontra-se em estado primitivo de conservação, podendo ser encontrados inúmeros sítios arqueológicos em suas cavernas e grutas, apresentando litogravuras nos paredões rochosos de valor histórico, científico e cultural.

Uma de suas rotas de entrada para visitação se dá pelo município de Caracol-PI. Para visitar o parque é obrigatória a presença de um guia que pode ser agendado na ACOPANASC (Associação dos Condutores do Parque Nacional da Serra das Confusões). A sede da entidade fica na Rua João Dias, 398, Caracol-PI.

Pedro II

Localizada a 220 km da capital Teresina é conhecida como a “Suíça Piauiense” por ser a mais fria das cidades do estado. A cidade tem como principal produto de sua economia a extração de pedras semipreciosas, com destaque para as minas de opalas, que são as mais belas e puras encontradas em todo o solo brasileiro. Também se destaca um rico artesanato à base de fio de algodão, que dão origem a belas tapeçarias e redes.

Entre as belezas naturais, estão o Morro do Gritador, cânion com cerca de 280 metros, a Cachoeira do Salto Liso, com suas águas frias e cristalinas formando um véu de cerca de 30 metros, o Olho d’água Buritizinho, entre outros. No meio do ano, a cidade realiza o Festival de Inverno de Pedro II, uma grande aposta do turismo piauiense. O clima agradável da cidade serrana, seu povo acolhedor e grandes nomes do jazz e do blues garantem o sucesso do festival.